ESTRELA DE NATAL


Euphorbia pulcherrima = Poinsetia pulcherrima
Estrela de Natal

"Pulcherrima" é uma palavra do latim que significa “a mais bela”.
Chama-se Estrela de Natal porque sendo uma planta de dias curtos floresce por altura do solstício de Inverno, próximo do Natal.
Também é conhecida como Flor de Páscoa ou Poinsétia.
Existe em várias cores mas a preferida é a vermelha.
As folhas vermelhas (brácteas) aparecem a partir do Outono até ao final do Inverno. As brácteas são folhas modificadas para maior eficiência da planta. Estas folhas modificadas permitem a polinização / reprodução desempenhando a função das flores noutras plantas, sem deixar de ganhar energia através da fotossíntese por serem folhas. Também evitam o consumo de energia associado à formação de flores coloridas e odoríferas mas incapazes de fotossíntese. Isto é possível porque a planta é polinizada por aves e não por insectos. De facto, as aves não são sensíveis a aromas de flores mas são atraídas pela cor vermelha das folhas. Acontece o mesmo com as brácteas a que chamamos flores nas buganvíleas.
As flores da Estrela de Natal, muito pequenas e amarelas, surgem no interior da coroa formada pelas brácteas vermelhas e não têm valor ornamental.
No seu ambiente natural pode formar um arbusto até 3m de altura.
A Estrela de Natal já passou por um intenso melhoramente genético com intuitos comerciais, promovido por produtores profissionais.

FAMÍLIA
Euforbiáceas


ORIGEM
México

LUZ
Deve receber muita luz mas não sol directo, excepto em períodos do dia em que este seja fraco.

TEMPERATURA
Precisa da temperatura amena do interior das casas, de preferência entre os 16º e os 24º. Respeitar um mínimo absoluto de 10º a 15º. Não pode ser exposta ao frio (“nem 1 minuto”) nem a mudanças bruscas de temperatura. A exposição ao frio exterior pode causar um choque térmico irreparável.

HUMIDADE
Necessitam de ambiente húmido. O ar demasiado seco provoca a queda e amarelecimento das folhas.
Pulverizar com água desmineralizada, à temperatura ambiente. Pulverizar as folhas e não as brácteas para que estas não fiquem manchadas.
Para aumentar o grau de humidade próximo a planta pode ser deixada num prato com água, com o vaso apoiado numa base de pedras, acima do nível da água. Este método é preferível ao da pulverização, se o ambiente não estiver demasiado seco.

REGA
O ponto fraco desta planta é principalmente a rega. O excesso ou a falta de água provocam a queda das folhas.
Deixar a camada superficial secar parcialmente antes de regar. A planta recupera melhor da seca do que do encharcamento que apodrece as raízes.
Diminuir a rega no Inverno.
Na época de floração e crescimento deve ser regada com maior frequência.
Idealmente, deve ser regada por baixo colocando o vaso num prato com água durante cerca de 15 minutos.

OUTROS CUIDADOS
Deve estar abrigada das correntes de ar.
Quando comprada deve ser transportada com o plástico protector e desembalada apenas em casa.
Se a comprar com demasiadas flores maduras durará menos tempo.
Se as folhas verdes se tornam claras é sinal de que precisa de mais luz. Se as folhas se tornam amarelas ou acastanhadas é sinal de exposição a ar muito seco ou temperatura muito elevada.
O látex (líquido branco leitoso) que surge quando se partem os ramos pode ser irritante para a pele e as mucosas mas não tem grau de toxicidade superior como por vezes é dito e a lenda lhe atribui. É falso que possa provocar a morte apesar de pertencer a uma família (euforbiáceas) com muitas espécies altamente venenosas.

SOBREVIVÊNCIA E CONSERVAÇÃO
Não é fácil e é um desafio que pode não resultar à primeira tentativa.
Quando a floração termina e a planta entra em fase de repouso / dormência perde as folhas e torna-se muito pouco atraente. A maior parte das pessoas deita-a fora nesta altura.
Se a quiser manter bonita até ao próximo Natal pode-a bastante, até 12 cms da base, coloque-a num local um pouco mais fresco e menos luminoso e regue muito pouco. Recobra os cortes com cera de vela para evitar infecções por fungos na superfície de corte.
Na Primavera seguinte mude de vaso e aumente a rega para estimular o crescimento das raízes.
Adube quinzenalmente até ao final da floração com adubo líquido para plantas de interior diluído na água da rega. Os adubos de libertação lenta também são adequados.
Para lhe dar forma e vitalidade remova os rebentos que vão surgindo deixando apenas cerca de 5. Se crescer demasiado pode vigorosamente para que fique mais frondosa e evitar o aspecto de arbusto. Existem produtos reguladores de crescimento mas servem sobretudo para produção industrial.
No Verão a planta pode ser colocada no exterior mas no início do Outono deve regressar ao ambiente protegido do interior das habitações.
Para que floresça no Natal não deve receber luz pelo menos durante 14 horas por dia (escuridão total) a partir do fim de Setembro, início de Outubro. Tape com saco de plástico negro ou caixa de cartão, desde o final da tarde até à manhã seguinte, durante 8 semanas. Com menos horas de escuridão total a planta cresce mas não dá brácteas vermelhas nem floresce. Durante o dia deve estar exposta a ambiente luminoso.